O Nobel Nigeriano • Wole Soyinka • 88 Anos

“Livros e todas as formas de escrita, são um terror para aqueles que desejam suprimir a verdade.”

“Books and all forms of writing are terror to those who wish to suppress the truth.”

— Wole Soyinka

Wole Soyinka

Wole Soyinka (Abeocutá, 13 de julho de 1934) é um escritor nigeriano.

Em 1986 foi agraciado com o Nobel de Literatura, sendo considerado o dramaturgo mais notável da África.

Soyinka nasceu em uma família humilde de origem iorubá em Abeocutá, Nigéria.

Lecionou nas universidade de Lagos e Ifé (tornando-se professor de Literatura comparada nesta instituição de ensino em 1975).

Soyinka participou ativamente na história política da Nigéria.

Em 1967, durante a Guerra civil nigeriana, ele foi preso pelo Governo federal mantido em confinamento solitário na prisão por suas tentativas de mediar a paz entre os partidos em guerra.

Na prisão ele escreveu poemas que mais tarde viriam a ser publicados em uma coleção sob o título Poems from Prison.

“Um tigre não grita sua tigretude, ele age.”

“A tiger does not shout its tigeritude, it acts.”

— Wole Soyinka

Soyinka tem criticado abertamente as administrações da Nigéria e de tiranias políticas mundo afora, inclusive fez denúncias contra o regime de Mugabe de Zimbabwe.

Muitos de seus escritos tratam do que ele chama de “the oppressive boot and the irrelevance of the colour of the foot that wears it”, ou seja, parafraseando: o coturno opressivo e a irrelevância da cor do pé que a calça.

Essas formas de pensar e de se expressar tem causado grande risco de morte ao autor, especialmente durante o governo do ditador nigeriano Sani Abacha (1993–1998).

“A maior ameaça à liberdade, é a ausência de crítica.”

“The greatest threat to freedom is the absence of criticism.”

— Wole Soyinka

Durante a ditadura do General Abacha, Soyinka se retirou de seu país de origem em exílio voluntário (passando a maioria desse tempo nos Estados Unidos onde lecionou na Universidade de Emory, na cidade de Atlanta.

“A Humanidade morre, em todos os que se calam diante da tirania.”

“The man dies in all who keep silent in the face of tyranny.”

— Wole Soyinka

Quando do retorno do governo civil na Nigéria, em 1999, Soyinka aceitou emérito da Ifé (agora Universidade Obafemi Awolowo, mas somente com a condição de que nenhum dos ex-generais do regime prévio jamais fossem designados como chanceller da universidade no futuro. Após algum tempo na África, ele passou a ocupar a cadeira Elias Ghanem Professor of Creative Writing no Departamento de inglês da Universidade de Nevada, na cidade de Las Vegas, Estados Unidos.

“A educação está faltando na maioria daqueles que ensinam.”

“Education is lacking in most of those who pontificate.”

— Wole Soyinka

FONTES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s