George Orwell • 119 Anos

“A história é escrita pelos vencedores.”

– George Orwell

George Orwell

pseudónimo  de

Eric Arthur Blair

(Motihari, Índia Britânica, 25 de junho de 1903Camden, Londres, Reino Unido, 21 de janeiro de 1950)

escritor, jornalista e ensaísta político inglês

Sua obra é marcada por uma inteligência perspicaz e bem-humorada, uma consciência profunda das injustiças sociais, uma intensa oposição ao totalitarismo e uma paixão pela clareza da escrita.

FONTE: WIKIWAND

Sua hostilidade ao Stalinismo e pela experiência do socialismo soviético,[6] um regime que Orwell denunciou em seu romance satírico A Revolução dos Bichos,[7][8] (traduzido no Brasil também como A Fazenda dos Animais, a partir das edições de 2020) se revelou uma característica constante em sua obra.

Considerado talvez o melhor cronista da cultura inglesa do século XX,[9] Orwell dedicou-se a escrever resenhas, ficção, artigos jornalísticos polêmicos, crítica literária e poesia.

Ele é mais conhecido pelo romance distópico Nineteen Eighty- Four, escrito em 1949, e pela novela satírica Animal Farm (1945).

Juntas, estas obras venderam mais cópias do que os dois livros mais vendidos de qualquer outro escritor do século XX.[10]

Um outro livro de sua autoria, Homage to Catalonia (1938) – um relato de sua experiência como combatente voluntário no lado republicano da Guerra Civil Espanhola — também é altamente aclamado, assim como seus ensaios sobre política, literatura, linguagem e cultura.[11]

Em 2008, o The Times classificou-o em segundo lugar em uma lista de “Os 50 maiores escritores britânicos desde 1945”.[12]

A influência de Orwell na cultura contemporânea, tanto popular quanto política, perdura até hoje. Vários neologismos criados por ele, assim como o termo orwelliano — palavra usada para definir qualquer prática social autoritária ou totalitária[13] — já fazem parte do vernáculo popular.

CITAÇÕES

FONTE: WIKIQUOTE

  • “Podemos ver que, como usada, a palavra fascismo é quase que inteiramente sem sentido. Na conversa, obviamente, é usada de forma mais desenfreada do que na imprensa. Eu ouvi sendo aplicada a fazendeiros, lojistas, crédito social, punição corporal, caça às raposas, touradas, o comitê de 1922, o comitê de 1941, Kipling, Gandhi, Chiang Kai-Shek, homossexualidade, as transmissões de Priestley, albergues de estudantes, astrologia, mulheres, cachorros, e eu não o que mais.”

It will be seen that, as used, the word ‘Fascism’ is almost entirely meaningless. In conversation, of course, it is used even more wildly than in print. I have heard it applied to farmers, shopkeepers, Social Credit, corporal punishment, foxhunting, bullfighting, the 1922 Committee, the 1941 Committee, Kipling, Gandhi, Chiang Kai-Shek, homosexuality, Priestley’s broadcasts, Youth Hostels, astrology, women, dogs, and I do not what else.Orwell and Politics, George Orwell, ‎Peter Davison, Penguin Books Limited · 2001, ISBN: 9780141913926, 0141913924

  • “Todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais que os outros”.

All animals are equal, but some animals are more equal than others.Animal Farm: A Fairy StoryPágina 192 – Houghton Mifflin Harcourt, 2009

  • “Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir.”

If liberty means anything at all it means the right to tell people what they do not want to hearOrwell and Politics: Animal Farm in the Context of Essays, Reviews and Letters Selected from the Complete Works of George Orwell – Página 314, de George Orwell, Peter Davison, Peter Hobley Davison, Timothy Garton Ash – Publicado por Penguin, 2001 ISBN 014118518X, 9780141185187 – 560 páginas

  • “O homem é a única criatura que consome sem produzir.”

Man is the only creature that consumes without producingAnimal Farm: A Fairy Story‎ – Página 29, de George Orwell, Russell Baker, C. M. Woodhouse – Publicado por Signet Classic, 1996 ISBN 0451526341, 9780451526342 – 140 páginas

War is Peace; Freedom is Slavery; Ignorance is StrengthNineteen Eighty Four‎ – Página 10, de George Orwell – Publicado por 1st World Publishing, 2004, ISBN 1595404325, 9781595404329 – 388 páginas

  • “O que é realmente assustador quanto ao totalitarismo não é que cometa ‘atrocidades’, mas que agrida o conceito de verdade objetiva.”

Poder e mentira; tradução de Paulo Geiger. Texto citado na revista Exame. Ano 51. N° 7 – 12/04/2017.

  • “[…] O Partido procura o poder por amor ao poder. Não estamos interessados no bem–estar alheio; só estamos interessados no poder. Nem na riqueza, nem no luxo, nem em longa vida de prazeres: apenas no poder, poder puro. (…) Somos diferentes de todas as oligarquias do passado, porque sabemos o que estamos fazendo. Todas as outras, até mesmo as que se assemelhavam conosco, eram covardes e hipócritas. Os nazistas alemães e os comunistas russos muito se aproximaram de nós nos métodos, mas nunca tiveram a coragem de reconhecer os próprios motivos. Fingiam, talvez até acreditassem, ter tomado o poder sem querer, e por tempo limitado, e que bastava dobrar a esquina para entrar num paraíso onde os seres humanos seriam iguais e livres. Nós não somos assim. Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar uma revolução; faz-se a revolução para estabelecer a ditadura. O objetivo da perseguição é a perseguição. O objetivo da tortura é a tortura. O objetivo do poder é o poder.” (1984)
  • “O que é preciso, acima de tudo, é deixar o significado escolher a palavra, e não o contrário. Em prosa, a pior coisa que alguém pode fazer com as palavras é render-se a elas.”

Em “Política e a Língua Inglesa” (1946)

  • “Não é uma questão de se a guerra é real ou não é. A vitória não é possível. A guerra não é destinada para ser ganha. É destinada para ser contínua. Uma grande sociedade arcaica só é possível às custas da pobreza e da ignorância.”

That’s not a matter if wether the war it’s not real of if it is. Victory it’s not possible. The war it’s not meant to be won. It’s meant to be continuous. A high archical society is only possible on the basis of poverty and ignorance.

  • “O homem é tão bom quanto o seu desenvolvimento tecnológico o permite ser.”

Men are only as good as their technical development allows them to be.“Inside the whale, and other essays” – página 60, George Orwell – V. Gollancz ltd., 1940 – 188 página

1984

  • “Quem controla o passado, controla o futuro; quem controla o presente, controla o passado… quem controla o passado, controla o futuro. Quem controla o presente agora?! Agora testemunhe, está logo atrás da porta”
  • “Quando se ama alguém, ama-se, e quando não se tem nada mais para lhe dar, ainda se lhe dá amor.” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 159.
  • “As massas nunca se revoltarão espontaneamente, e nunca se revoltarão apenas por serem oprimidas. Com efeito, se não se lhes permitir ter padrões de comparação nem ao menos se darão conta de que são oprimidas.” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 199.
  • “Mas depois de lê-lo tinha maior certeza de não estar louco. Estar em minoria, mesmo em minoria de um, não era sintoma de loucura. Havia verdade e havia mentira, e não se está louco porque se insiste em se agarrar à verdade mesmo contra o mundo todo.(…)” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 209.
  • “Ocorreu-lhe que a vida toda de um homem era desempenhar um papel, e que achava perigoso abandonar, por um momento que fosse, sua falsa personalidade.” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 209.
  • “Os melhores livros (…) são aqueles que lhe dizem o que você já sabe.” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 236.
  • “A Terra é tão velha quanto o homem, e nada mais. Como poderia ser mais velha? Nada existe exceto pela via da consciência humana.” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 253.
  • “Antes do homem, não havia nada. Depois do homem, se por acaso acabasse, nada haveria. Fora do homem não há nada.” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 253.
  • “(…) Que sabemos das coisas, exceto através de nossa mente? Tudo o que acontece, acontece na cabeça. E o que acontece em todas as mentes, de fato acontece.” – 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 265.
  • “As massas nunca se revoltam por iniciativa própria, e nunca se revoltam só porque são oprimidas. Acontece que enquanto não lhes for permitido contar com termos de comparação, elas nunca chegarão sequer a dar-se conta de que são oprimidas.”

– George Orwell, 1984; tradução de Alexandre Hubner e Heloisa Jahn, São Paulo: Companhia das Letras. 2009, p. 244.- Fala atribuída ao personagem Emmanuel Goldstein

A Revolução dos Bichos

  • “O Homem é a única criatura que consome sem produzir”

“Man is the only creature that consumes without producing”George Orwell; livro: Orwell A Revolução dos Bichos; página 11; Editora Aleph; criado em 1945

MAIS CITAÇÕES

FONTE: MUNDO EDUCAÇÃO

  • “A massa mantém a marca, a marca mantém a mídia, e a mídia controla a massa.”
  • “Em tempos de engano universal, falar a verdade torna-se um ato revolucionário.”
  • “Quando se ama alguém, ama-se, e quando não se tem nada mais para lhe dar, ainda se lhe dá amor.”
  • “Quem controla o passado controla o futuro. Quem controla o presente controla o passado.”
  • “Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir.”
  • “A linguagem política dissimula para fazer as mentiras soarem verdadeiras e para dar aparência consistente ao puro vento.”
  • “Os animais são todos iguais, mas uns são mais iguais que outros.”
  • “Ver aquilo que temos diante do nariz requer uma luta constante.”
  • Retire-se da cena o homem e a causa principal da fome e da sobrecarga de trabalho desaparecerá para sempre.

George Orwell • 119 Anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s