Dia da França • Tomada da Bastilha • 233 Anos

A Festa nacional francesa, ou Dia da Bastilha, é um feriado nacional francês celebrado anualmente, em 14 de Julho — ‘14 Juillet’

O evento acontece em memória ao episódio histórico da Tomada da Bastilha, em 1789, quando teve início o caráter popular da Revolução Francesa.

FONTE: WIKIWAND

As comemorações desse feriado consistem em grandes celebrações e paradas militares por todo o país, com destaque para o desfile militar da Champs-Élysées de Paris, prestigiado pelo Presidente da República.

“Cada século tem um espírito que o caracteriza:

o espírito do nosso parece ser o da liberdade.”

— Denis Diderot

Chaque siècle a son esprit qui le caractérise. L’esprit du nôtre semble être celui de la liberté.Oeuvres complètes de Diderot: revues sur les éditions originales, comprenant ce qui a été publié à diverses époques et les manuscrits inédits, conservés à la Bibliothèque de l’Ermitage, notices, notes, table analytique, Volume 20‎ – Página 221, Denis Diderot – Garnier frères, 1877 — FONTE: WIKIQUOTE

“É uma revolta?”

(Luiz XVI, ao ser informado sobre a queda da Bastilha, em 14 de julho de 1789)

– Não, senhor. É uma revolução.”

(Duque de Liancourt, político francês, em resposta ao rei)

citado em Revista Caras, Edição 662 – (Ano 13 – Número 28)

FONTE: WIKIQUOTE

Íntegra da Citação do Dia

Dia da França • Tomada da Bastilha • 233 Anos

Uma data importante, não apenas para a França, mas para todo o Planeta.

A Tomada da Bastilha, em 1789, foi tão impactante, que acabou marcando
a passagem da Idade Moderna para a Idade Contemporânea.

Os princípios iluministas gritavam por

‘Liberdade, Igualdade e Fraternidade’.

Queriam o fim dos reinados, e o começo do que seria,
a república democrática.

Caía a fortaleza, a grande prisão de Paris. A Bastilha fora tomada.
E acontecia ali, o início do fim do absolutismo.

“É uma revolta?” perguntou o rei da França, Luiz XVI, quando foi
informado sobre a queda da Bastilha, em 14 de julho de 1789. E o Duque
de Liancourt, político francês, lhe respondeu:

— “Não, senhor. É uma revolução.”

A notícia de que o povo de Paris tinha se rebelado contra o rei, se
espalhou de tal maneira, que o medo pelo terror que se seguiria,
fez Immanuel Kant, o homem mais metódico da História, na distante
Königsberg, atrasar seu passeio diário das 18 horas, em espantosos
cinco minutos.

professor Paul Sampaio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s