Meryl Streep • 73 Anos

“Não há roteiro sobre como criar uma família:

é sempre uma negociação enorme.”

“There’s no road map on how to raise a family: it’s always an enormous negotiation.”

– Meryl Streep

Meryl Streep

73 Anos

Mary Louise Streep (Summit, 22 de junho de 1949) [1][2] mais conhecida pelo nome artístico Meryl Streep, é uma atriz norte-americana, reconhecida como uma das mais talentosas de todos os tempos. [3][4][5]

No mesmo ano estreou no cinema com o filme Julia(1978) e Kramer vs. Kramer (1979) seguidos por, entre outros como Sophie’s Choice (1982), Out of Africa (1985), The Devil Wears Prada (2006), Mamma Mia! (2008) e The Iron Lady (2011).

Streep fez sua estréia profissional na peça Trelawny of the Wells (1975) e sua estréia na televisão no telefilme The Deadliest Season (1977).

Meryl Streep – atriz, em ‘Kramer vs. Kramer’, de 1979.

“Acho que seu eu, emerge mais claramente com o tempo.”

“I think your self emerges more clearly over time.”

– Meryl Streep

Conhecida como uma das atrizes mais premiadas de todos os tempos, Meryl Streep já recebeu 20 indicações ao Oscar (recorde entre as categorias ligadas a atuação), vencendo três vezes.

Também recebeu 29 indicações ao Globo de Ouro, vencendo oito, também um recorde para o prêmio.

“Sou um humanista.

Sou a favor do equilíbrio fácil e agradável.”

“I am a humanist. I am for nice, easy balance.”

– Meryl Streep

A atriz também recebeu dois Emmys, dois Screen Actors Guild Awards, o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes e no Festival de Berlim, cinco New York Film Critics Circle Awards, dois BAFTA, dois Australian Film Institute Award, quatro indicações ao Grammy Awarde uma indicação Tony Award, entre outros prêmios.

Recebeu o prêmio honorário do American Film Institute em 2004 e o Kennedy Center Honor em 2011, ambos por sua contribuição para a cultura dos Estados Unidos através das artes performáticas, sendo a mais jovem artista da história a receber tal distinção.

Foi condecorada por duas vezes pelo presidente Barack Obama, em 2010 e 2014, com a Medalha Nacional das Artes[6] e a Medalha Presidencial da Liberdade, mais alta condecoração civil dos Estados Unidos.[7][8]

Meryl Streep vive a ativista feminista Emmeline Pankhurst, em ‘As sufragistas’.

Origem

Meryl Streep nasceu em Summit, no estado americano de Nova Jérsei.[9]

Sua mãe, Mary Wolf (1915–2001), era comerciante de artes e editora em uma publicação especializada, seu pai, Harry William Streep Jr. (1910–2003), era executivo em uma indústria farmacêutica.[10][11][12]

Tem dois irmãos: Dana David e Harry William III.[13]

“Não suporto a maioria das coisas que vejo.”

“I can’t stand most things that I see.”

– Meryl Streep

A sua família é de origem alemã, especificamente da região de Loffenau, seu tataravô, Gottfried Streep, foi quem imigrou para os Estados Unidos. Outra parte de sua família paterna é da região suíça de Giswil.

Sua mãe tinha origem inglesa, alemã e irlandesa.

Parte da família materna da atriz é dos estados da Pennsylvania e Rhode Island, e descende de imigrantes ingleses dos século XVII.[12][14]

Meryl Streep em ‘Mamma Mia’.

Streep cresceu em Bernardsville no estado de Nova Jérsei, onde estudou no Bernards High School.[15]

Graduou-se em teatro dramático no renomado Vassar College em 1971 (onde por pouco tempo foi aluna da atriz Jean Arthur).[16]

Também foi estudante visitante do Dartmouth College e fez mestrado em Artes Dramáticas na Universidade de Yale, curso durante o qual participou de várias montagens teatrais, como Sonho de uma noite de verão, de William Shakespeare.[17]

Meryl Streep com Anne Hathaway, em ‘O diabo veste Prada’.

Em sua carreira Meryl Streep participou de mais de 50 filmes.[104]

Seus maiores sucessos comerciais em todo o mundo foram os filmes Mamma Mia!, que arrecadou 609,8 milhões de dólares, The Devil Wears Prada, que arrecadou 326,6 milhões, A.I. Artificial Intelligence (235,9 milhões), It’s Complicated (219,1 milhões) e Lemony Snicket’s A Series of Unfortunate Events (209,1 milhões de dólares).[105]

Seu segundo filme, The Deer Hunter, foi eleito, em 1998, durante as comemorações de 100 anos da invenção do cinema, o 78º melhor filme de todos os tempos, pelo American Film Institute.[106]

Em 2001 o filme foi eleito o 30º mais “eletrizante” de todos os tempos.[107] Na atualização da lista dos 100 melhores filmes da história feita em 2007, a produção subiu para a 53ª posição; e Sophie’s Choice, pelo qual Meryl recebeu o Oscar de Melhor Atriz, passou a figurar no ranking, ocupando o 91ª lugar.[108]

Meryl interpretando Florence.

“É bom que a Terra seja redonda,

assim não vemos muito à frente.”

“It is well that the earth is round that we do not see too far ahead.”

– Meryl Streep

Ainda de acordo com a instituição, que elege os 10 melhores filmes de cada gênero – e atualiza a lista anualmente – Kramer vs. Kramer e A Cry in the Dark ocupam, respectivamente, a 3ª e a 9ª posição na lista dos dez melhores filmes da história sobre julgamentos.[109]

Em 2002 três filmes estrelados pela atriz fora ranqueados na lista das 100 melhores histórias de amor de todos os tempos: Out of Africa, na 13ª posição, Manhattan, na 66ª posição, e The Bridges of Madison County, na 90ª posição.[110]

No ano seguinte a AFI elegeu Karen Silkwood, a personagem vivida por Meryl em Silkwood, como o 47º melhor herói de todos os tempos. [111]Manhattan é também a 46ª melhor comédia de todos os tempos.[112]

Sotaques

Meryl Streep é conhecida pela sua grande capacidade de mimetizar sotaques, desde o dinamarquês de Out of Africa (1985); ao inglês britânico de Plenty (1985), de The French Lieutenant’s Woman (1981) e de The Iron Lady (2011); o italiano em The Bridges of Madison County (1995); o sotaque de Minnesota em A Prairie Home Companion (2006) e o irlandês em Ironweed, até o sotaque do Bronx em Doubt.

Meryl Streep com Jack Nicholson, em ‘Ironweed’, de Hector Babenco.

Em A Cry in the Dark (1988), os críticos ficaram impressionados com a capacidade de Meryl misturar o sotaque australiano com o da Nova Zelândia.

Para o seu papel em Sophie’s Choice (1982), ela usa o sotaque polonês, e fala fluentemente em alemão e polonês nas cenas- chave.[113]

Em The Iron Lady, ela reproduziu o estilo estridente de falar de Margaret Thatcher antes dela se tornar primeira ministrar, e o tom mais suave após as lições de fonoaudiologia.[114]

De acordo com ela própria, os sotaques são uma parte óbvia da construção dos personagens.

Certa vez, perguntada sobre isso ela respondeu:

“Eu sou sempre confrontada por essa questão… Como eu posso interpretar um personagem e falar como eu mesma?”.

Quando questionada sobre como consegue reproduzir os diferentes sotaques ela respondeu:

“Eu os ouço.”[115]

Filantropia

É co-fundadora do Mothers e Others um grupo de consumidores que advogam desde os anos 1990 sobre a proteção das saúde infantil, o meio ambiente e apoiam a agricultura orgânica.[172]

Também apoia o Centro para a Saúde e o Meio ambiente Global da Harvard Medical School, o Scenic Hudson, e a Coalizão pela Saúde Infantil, além do Equality Now uma campanha global pelos direitos de mulheres e meninas ao redor do mundo. [172]

Doou todo o seu cachê do filme The Iron Lady, além de outros valores em dinheiro para o National Women’s History Museum.[173]

Em 2012 doou 1 milhão de dólares para o The Public Theatre,[174] e desde o início de 2013 apoia a campanha da grife Gucci liderada por Beyoncé Knowles Chime For Change, para o empoderamento de mulheres em todo o mundo.[175]

Meryl com Hugh Grant em ‘Florence’.

Meryl Streep na cultura pop

Suas atuações são uns dos principais elementos que inspiraram a obra do artista plástico novaiorquino Michael Cavayero:

“Comecei a pintar este quadros da jovem Meryl Streep talvez na primavera de 2008. Eu acho que eu sempre gostei dela. Meu pai costumava fazer-me ver um monte de filmes dela com ele, principalmente em VHS’s dos anos 80, quando eu era mais jovem. Isso era uma espécie de ‘segundo tempo’ dos filmes”, disse.[176]

Parte dos retratos de Meryl, como a versão da famosa fotografia de Annie Leibovitz de Meryl para a capa da revista Rolling Stone em 1981[177] fizeram parte de uma exposição no Metropolitan Museum of Art em Nova Iorque.[178]

Em uma sequência do filme The First Wives Club (1996), Brenda (Bette Midler) pega uma estatueta do Oscar pertencente a Elise (Goldie Hawn) e exclama:

“Vem escrito ‘eu venci a Meryl!?'”, em referência às 14 vezes em que a atriz foi indicada mas não ganhou o prêmio.

22 de junho - Meryl Streep, atriz estadunidense

A frase foi repetida pela atriz Jennifer Lawrence durante seu discurso de agradecimento ao Globo de Ouro de Melhor Atriz no Cinema – Comédia ou Musical em janeiro de 2013, que tinha Meryl como uma das indicadas, o que gerou controvérsias na imprensa e na internet.[179]

Em 2010, aos 60 anos, Streep se tornou a mais velha pessoa a estampar a capa de uma revista Vogue, no caso, a edição francesa da publicação, onde apareceu ao lado de Penélope Cruz.[180]

Em dezembro de 2011, com 62 anos, ela saiu, desta vez sozinha, na capa da Vogue America.[181]

Desde março de 2013, o “título” pertence a Tina Turner, que saiu na Vogue Alemanha.[182]

A atriz é tema de três músicas: “Meryl Streep”, da banda de electro californianaIndigo;[183] Meryl Streep Is A Fucking Liar, do grupo de screamo rock estadunidense Usurp Synapse[184] e em Think Of Meryl Streep, apresentada no musical de 1988 Fame, baseado no filme homônimo de 1980.[185]

Em 2013 ela apareceu ao lado de outros artistas e modelos como Johnny Depp e Kate Moss interpretando uma fã do ex-Beatle Paul McCartney no videoclipe da música Queenie Eye.[186]

Na primeira temporada do seriado Modern Family o personagem Cameron (Eric Stonestreet) após ouvir que Meryl não teria sido a melhor escolha para o filme Mamma Mia! afirma:

“Desculpa. Meryl poderia interpretar Batman e ainda sim ser a escolha correta”.

A frase se tornou um meme quando o ator Ben Affleck foi escolhido para interpretar o herói, em 2013.[187]

No Oscar 2014, a atriz participou da célebre selfie comandada pela apresentadora Ellen DeGeneres, anfitriã da noite, que teve mais de 2,7 milhões de compartilhamentos, chegando a colapsar o Twitter por alguns minutos. A imagem se tornou a foto mais retuitada da história.[188]

Prêmios

Prêmios de atuação

Uma das atrizes mais premiadas de todos os tempos, Meryl Streep recebeu 19 indicações ao Oscar, 14 ao BAFTA, 3 ao Emmy, 28 ao Globo de Ouro, 5 ao Grammy, 16 ao SAG Awards, e uma ao Tonny, além de diversos outras premiações, que somam cerca de 215 indicações. Sendo recordista de indicações no Oscar e no Globo de Ouro.[18][26] [33][35]

Venceu o Oscar por três vezes,[26] (ficando atrás apenas de Katharine Hepburn, que recebeu o prêmio por quatro vezes).

É a maior vencedora da história do Globo de Ouro, com nove prêmios.[189]

Meryl Streep faz emocionado discurso anti-Trump no Globo de Ouro.

Possui os prêmios de melhor atriz nos festivais de Cannes e Berlim. Do último também recebeu um prêmio honorário pelo conjunto da carreira.[43][51]

Entre os prêmios honorários, destacam-se também o César, da Academia Francesa de Cinema e o AFI Lifetime Award, do American Film Institute.[51]

Principais prêmios recebidos por Meryl Streep

(para a lista completa veja página detalhada)

Prêmio Ano Categoria Título do Filme Ref.
Oscar 2012 [26]
1982 [26]
1979 [26]
Globo de Ouro 2012 [33]
2010 [33]
2007 [33]
2004 [33]
2003 [33]
1982 [33]
1981 [33]
1979 [33]
BAFTA 2012 [35]
1981 [35]
Emmy 2004 [128]
1978 [128]
Festival de Cannes 1989
A Cry in the Dark
[43]
Festival de Berlim 2012
honorário
[190]
2003 [191]

Vida pessoal

Família

Meryl Streep viveu com o ator John Cazale por três anos, antes de sua morte em 1978.

Nas últimas semanas antes de sua morte, se mudou para o hospital onde diariamente lia para ele o jornal imitando um comentarista esportivo e tentando confortá-lo até seus últimos momentos.[156]

Parte da história dos dois é descrita por amigos do casal, como Al Pacino, no documentário I Knew It Was You: Rediscovering John Cazale, de 2009.[157][158]

Meryl Streep com suas três filhas.

Se casou com o escultor Don Gummer, em setembro de 1978.[159]

Os dois se conheceram através do irmão de Meryl, Harry, amigo de longa data de Don.

A cerimônia foi apenas para família de ambos em Mason’s Island, Connecticut.

Em maio do ano seguinte os dois fizeram um pequeno coquetel para os amigos para celebrar o casamento.[160]

Durante seu discurso de agradecimento ao Oscar, em 2013, Meryl dedicou o prêmio ao marido antes de agradecê-lo às demais pessoas.

“Primeiramente eu gostaria de agradecer Don, porque quando se agradece ao marido no final do discurso, eles aumentam o volume da música e eu faço questão de que ele saiba que tudo que eu valorizo em nossas vidas foi ele que me deu”, disse.[161]

Eles tiveram quatro filhos: Henry Wolfe Gummer, nascido em 1979; Mamie Gummer, nascida em 1983; Grace Gummer, nascida em 1986; e Louisa Jacobson Gummer, nascida em 1991. Tanto Mamie como Grace são atrizes, enquanto Henry é músico e ator.[10][162][163][164]

“Mesmo quando ainda era jovem e sem dinheiro, trabalhava direto durante quatro meses e ficava desempregada de novo. Então meus filhos nunca sabiam quando eu estaria em casa. Isso foi muito valioso, mas é uma luta contínua. As mulheres têm de fazer tudo isso. E também, quanto mais flexível o trabalho fica, mais os pais se envolvem.”

— Meryl Streep após receber seu terceiro Oscar, em 2012, comentando a dificuldade de conciliar carreira e família.[165].

Meryl e o filho Henry atuaram juntos na peça The Seagull, em 2001.[134]

O ano de 1979 foi o primeiro em que Meryl Streep foi indicada ao Oscar – já foram 20 indicações até hoje – e, daquela vez, ela competia por ‘O Franco Atirador’.

A filha do meio, Grace Gummer, estará ao lado da mãe no filme The Homesman, em fase de pós-produção, previsto para estrear em 2014.[166]

Já a mais velha, Mamie Gummer, atuou com Meryl em duas ocasiões: na sua estréia no cinema, ainda criança, em Heartburn e, mais recentemente, na adaptação do romance de Susan Minot, Evening.

Fisicamente parecida com Meryl, afirmou recentemente em entrevista a Folha de S. Paulo que tenta afastar-se da imagem da mãe, apesar de sua grande influência em sua carreira.[163]

“Cresci em uma área rural e fui intocada pelo glamour da profissão. Acho que ter assistido ao jeito como minha mãe levou sua carreira me deu um grande modelo de como devo me portar e de como fazer as coisas do jeito certo. Espero que eu tenha aprendido.”

Mamie Gummer em entrevista à Folha de S. Paulo sobre a influência de Meryl Streep em sua carreira.[163].

CITAÇÃO

Meryl Streep – Entrega total e influência sobre os outros

“Integre o que você acredita em todas as áreas da sua vida. Leve o seu coração ao trabalho, e peça, o mais e o melhor de todos os outros também.”

Meryl Streep / Fonte: Mensagens com Amor

Meryl Streep

Mary Louise Streep

(Summit, 22 de junho de 1949)

73 Anos

FONTES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s